NOTÍCIAS

‘Ave fantasma’: conheça o urutau, pássaro capturado em Uberaba e Araguari


A reportagem respondeu às seguintes perguntas:

  1. Qual a origem do urutau?
  2. Por que ele é chamado de ave fantasma?
  3. Quais são os hábitos dele?
  4. Ele é inofensivo? Quais cuidados devem ser tomados?
  5. Caso alguém encontre um urutau, o que deve ser feito?

1. Qual a origem do urutau?

Conforme Yudi, o urutau é uma ave da ordem específica desta espécie, a “Nyctibiiformes”. Dentre eles, há várias espécies do pássaro. Ele pode medir até 37 centímetros, tem a cabeça larga e achatada, bico e pernas pequenos e olhos enormes. O animal está presente em todos os estados do Brasil.

Espécies da família dos urutaus — Foto: Arte/TG

Espécies da família dos urutaus — Foto: Arte/TG

  • Internautas registram urutaus em locais inusitados; entenda aparição da ave no Sul e Sudeste
  • Projeto musical valoriza biomas brasileiros através do canto das aves

2. Por que ele é chamado de ‘ave fantasma’?

O nome urutau é de origem indígena, da língua tupi, e tem como significado “ave fantasma”. Porém, além da semântica, o termo está relacionado com algumas crenças.

“Elas estão associadas ao canto triste e incomum, que se ouve sempre à noite, na hora em que a lua nasce. Daí criou-se diversas lendas pelos moradores rurais de diversas partes do Brasil e países vizinhos que têm floresta amazônica”, explicou Yudi.

O especialista ainda contou que há uma lenda que diz que uma mulher perdeu o amor, após o noivo ver o rosto dela iluminado. Desolada, ela pediu a uma feiticeira que a transformasse em um pássaro que durante as noites cantasse tristemente a perda do amor. Há ainda quem diga que o canto da ave é aviso ou presságio de morte de algum familiar.

“Também existe o conto que a ave se trata do lendário curupira, protetor das florestas, que faz muitas travessuras e tem os pés virados para confundir as pessoas que acreditará que ele foi na direção contrária”, completou Yudi.
Imagem de arquivo de urutau — Foto: Pablo Vieira/Arquivo Pessoal

Imagem de arquivo de urutau — Foto: Pablo Vieira/Arquivo Pessoal

3. Quais são os hábitos dele?

Os hábitos do urutau são noturnos. Eles são aves carnívoras e alimentem-se preferencialmente de insetos que apanham em pleno voo.

“Há relatos deles se alimentarem de outros animais, como morcegos, lagartos e até pequenas aves. Quando a ave abre o bico é possível observar uma grande cavidade “oral”, a orofaringe, esta área aumentada facilita a apreensão de alimento”, explicou o médico veterinário.

Durante o dia, eles passam despercebidos dos predadores graças à plumagem, que os ajuda a se camuflarem.

Normalmente, eles são encontrados sobre pedaços de madeira, galhos de árvore ou troncos. Yudi ainda informou que eles podem ficar parados por muito tempo durante o dia e não se assustam facilmente quando há aproximação de pessoas ou animais.

  • Conhecido como ave fantasma, urutau se camufla entre as árvores e tem “olho mágico”
  • TESTE: Desafie seus conhecimentos sobre o urutau, a ‘ave fantasma’

4. Ele é inofensivo? Quais cuidados devem ser tomados?

Ave urutal dentro de máquina de lavar em Araguari — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Ave urutal dentro de máquina de lavar em Araguari — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

O urutau é uma ave mansa, mas ao ser tocada pode voar ou abrir o bico para assustar os predadores. Yudi ressaltou que não é adequado tocar na ave.

“Não devemos aproximar ou tocar nas aves, podendo assustá-las e voarem até chocar numa parede ou vidros transparentes, causando graves lesões nestas aves”, alertou.

Ele ainda completou que o Hospital Veterinário de Uberaba (HVU) já recebeu aves da espécie e que todas apresentavam feridas compatíveis com traumas em paredes ou vidros.

5. Caso alguém encontre um urutau, o que deve ser feito?

Por vezes, a ave pode aparecer na cidade à procura de alimentos próximo a postes de energia. “A luz atrai muitos insetos que também acarreta a aproximação destas aves insetívoras pela abundância e facilidade de capturar os insetos”, disse o médico veterinário.

Caso ele seja identificado pela população, a recomendação é não tocar no animal. Se ele estiver em uma situação de risco, como local em que há trânsito e prédios, a Polícia Ambiental ou Corpo de Bombeiros deve ser acionado para capturá-lo de forma segura e soltá-lo na natureza.

VÍDEOS: veja tudo sobre o Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas



Fonte: G1


29/03/2022 – Paranaíba e Máximus FM

COMPARTILHE:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on skype
Skype

Mais Notícias de Rio Paranaíba:

Mais Notícias da Região:

SEGUE A @PARANAIBAMAXIMUS

Paranbaíba FM
Máximus FM
Contato Comercial
QUAL RÁDIO QUER OUVIR?