NOTÍCIAS

Avião agrícola que caiu em Brasilândia de Minas estava com certificado de aeronavegabilidade cancelado


A aeronave caiu em uma área de mata fechada e pântano de uma fazenda a cerca de 20 km da área urbana da cidade. Relembre abaixo como o Corpo de Bombeiros chegou até o local e como é feita a investigação.

Veja também o que é e qual a importância do Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade (CVA).

Em nota enviada ao g1, o Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III) informou que o avião é registrado com a matrícula PT-CTD. Segundo pesquisa realizada no site da Agência Nacional de Aviação Civil, a aeronave estava com o Certificado de Aeronavegabilidade cancelado devido ao Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade estar vencido desde maio de 2013.

Ainda conforme a Anac, o avião é de propriedade de José Donizete do Amaral. No entanto, de acordo com o Corpo de Bombeiros, após o resgate e perícia, o aparelho ficou sob os cuidados da empresa Furlan Agrícola Ltda.

O g1 entrou em contato por e-mail com a empresa pelo endereço disponível no registro da Receita Federal, mas não obteve retorno até a última atualização da matéria. O registro também apontou telefone da empresa Safras e Cifras, com sede em Pelotas (RS).

A reportagem entrou em contato com a empresa gaúcha para saber se é responsável pela Furlan Agrícola e pela aeronave e aguarda retorno.

O Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade (CVA) é uma condição necessária para que um avião possa voar em um país. No Brasil, ele é emitido pela Anac.

O CVA garante que a aeronave atende aos requisitos necessários para a segurança dos voos. Para emissão do certificado padrão são analisados 3 itens básicos:

  • Certificação do projeto do avião: avalia o projeto de engenharia e simulação garantindo que o aparelho é atende aos padrões de segurança;
  • Certificação de fabricação: assegura que o avião é igual ao apresentado no projeto;
  • Certificado de manutenção: garante que a manutenção é realizada por e equipe capacitada dentro dos prazos estabelecidos pelo fabricante.
Equipe de resgate do Corpo de Bombeiros tenta acessar local da queda da aeronave em Brasilândia de Minas — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Equipe de resgate do Corpo de Bombeiros tenta acessar local da queda da aeronave em Brasilândia de Minas — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

O avião pulverizador caiu na manhã desta terça-feira (17). Segundo o tenente do Corpo de Bombeiros, Wellinton Tolentino, o piloto da aeronave ficou preso às ferragens e teve a morte confirmada pelo médico que acompanhou a equipe de resgate.

Ainda conforme os bombeiros, funcionários de uma empresa acionaram os militares, que tiveram dificuldades para chegar ao local da queda. A aeronave só foi localizada no início da tarde, após os militares utilizarem um drone e receberem ajuda dos funcionários da fazenda.

“Encontramos o avião destruído, com a vítima presa às ferragens, sendo o óbito confirmado pelo médico que nos acompanhou. Aguardamos a perícia da Polícia Civil e a Aeronáutica para retirarmos o piloto da aeronave”, disse Tolentino.

A vítima era natural de Coromandel e tinha 30 anos. Ainda não há informações sobre as possíveis causas do acidente.

Em nota, o Seripa III, órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), confirmou o acionamento para realização de ação inicial da ocorrência envolvendo a aeronave em Brasilândia de Minas.

Segundo o órgão, na ação inicial são utilizadas técnicas específicas conduzidas por pessoal qualificado e credenciado, que realiza a coleta e confirmação dos dados, a preservação de indícios, a verificação dos danos causados à aeronave, ou pela aeronave, e o levantamento de outras informações necessárias à investigação da ocorrência.

“O objetivo das investigações realizadas pelo Cenipa é prevenir que novos acidentes com características semelhantes ocorram. A conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os possíveis fatores contribuintes”, disse a nota do Seripa III.

VÍDEOS: veja tudo sobre o Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas



Fonte: G1


17/05/2022 – Paranaíba e Máximus FM

COMPARTILHE:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on skype
Skype

Mais Notícias de Rio Paranaíba:

Mais Notícias da Região:

SEGUE A @PARANAIBAMAXIMUS

Paranbaíba FM
Máximus FM
Contato Comercial
QUAL RÁDIO QUER OUVIR?