NOTÍCIAS

Chuvas em Patos de Minas: famílias desalojadas ou desabrigadas poderão retornar para as casas


As mais de 130 famílias desalojadas ou desabrigadas em Patos de Minas irão poder começar a retornar para as casas a partir desta quinta-feira (3). Os moradores precisaram sair das residências após o nível do Rio Paranaíba atingir mais de 11 metros acima do normal com as fortes chuvas das últimas semanas.

Para definir estratégias sobre a volta, foi realizada nesta quarta-feira (2) uma reunião. Em entrevista à TV Integração, a secretária municipal de Desenvolvimento Social, Jorgiane de Sousa, detalhou como será o processo e o motivo da espera para poder dar início.

“É uma questão de uma demanda que a gente não esperava, de duas enchentes no ano. As famílias estão muito ansiosas, mas a gente precisava esperar, pois o tempo é imprevisível. A Defesa Civil tinha passado para a gente que poderia ter previsão de chuva na semana anterior. Agora estamos mais tranquilos, o nível do rio já abaixou”, explicou.

Segundo Jorgiane, o planejamento é que as famílias comecem a retornar a partir de quinta-feira. “Algumas famílias já nos procuraram hoje para falar sobre a questão do transporte. Os nossos abrigos vão ser desfeitos nessa semana se tudo dar certo e o pessoal ser levado para casa”, complementou.

  • Leia também: Patos de Minas e Delta vão receber mais de R$ 700 mil por conta de moradores desabrigados ou desalojados pelas chuvas

Porém, é necessário que os moradores façam uma “vistoria” na casa e, caso tenha alguma rachadura ou problema, a Defesa Civil deve ser comunicada.

“Aquela casa que tiver uma rachadura, alguma incidência maior de um estrago que deixa a pessoa incomodada é importante chamar a Defesa Civil para essa análise. Não havendo risco as famílias vão retornando”, ponderou.

Os moradores devem entrar em contato com a secretaria através do telefone (34) 3822-974. O órgão irá organizar junto aos caminhões da Prefeitura e os voluntários o retorno.

Além do transporte, a Prefeitura também realizará uma limpeza dos locais para a volta dos desabrigados e desalojados. “A Secretaria de Obras está fazendo a limpeza com caminhão-pipa, para limpar as ruas e as casas na questão da limpeza mais pesada. Agora a limpeza específica da casa é por conta do morador. Nós vamos estar verificando e auxiliando as famílias que precisarem de auxílio ou produto de limpeza”, finalizou Jorgiane.

Cheia do Rio Paranaíba em Patos de Minas, foto de arquivo — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Cheia do Rio Paranaíba em Patos de Minas, foto de arquivo — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

As chuvas que atingiram Patos de Minas em fevereiro fizeram o nível do Rio Paranaíba e do Córrego do Monjolo subisse novamente. No dia 12, a água do rio chegou a 11,73 m acima do normal.

Com a diminuição no nível da água, a Ponte do Arco foi liberada e equipes da Prefeitura iniciaram a recuperação do asfalto.

Devido às chuvas, Patos de Minas foi um dos 15 municípios do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas Gerais que decretaram estado de emergência. Ao lado de Delta, a cidade recebeu R$ 711 mil para amparar desalojados e desabrigados.

Cada município tem autonomia para utilizar o valor repassado de acordo com as necessidades de cada localidade, sendo possível utilizar para aquisição de móveis, cestas básicas, kits de higiene ou mesmo ser repassada em dinheiro diretamente às famílias atingidas.

O grande volume de chuva também danificou a ponte sobre o Córrego dos Vieiras, no km 437 da BR-365. O trecho ficou totalmente interditado por mais de 10 dias, mas teve o trânsito totalmente liberado após reparos.

Enchente do Rio Paranaíba nos Bairros Jardim Paulistano e Vila Rosa em Uberlândia — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Enchente do Rio Paranaíba nos Bairros Jardim Paulistano e Vila Rosa em Uberlândia — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Em janeiro, o alto volume de chuvas também fez com que o nível do Rio Paranaíba e de afluentes, como o Córrego do Monjolo, subisse rapidamente em Patos de Minas. O ápice da cheia no mês ocorreu no dia 13, quando a água do rio chegou a estar cerca de 12 metros acima do volume normal na cidade. Mais de 700 pessoas ficaram desalojadas ou desabrigadas.

Segundo o Corpo de Bombeiros, nos 3 primeiros dias do ano, foi contabilizado um volume de 46,73 mm na estação meteorológica do 12º Batalhão dos Bombeiros Militares. Além disso, de acordo com dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a média de chuva para todo o mês de janeiro em Patos de Minas era de 287 mm, mas, no dia 9, já haviam sido registrados 287,1 mm de precipitação.

Com as chuvas, a água do rio invadiu casas e levou à interdição de ruas. Construção simbólica na cidade, a Ponte do Arco, na Avenida Joaquim Fubá, ficou fechada por 3 dias depois que o nível ultrapassou as bordas da estrutura.

Rio Paranaíba transbordou sobre a Ponte do Arco, no Bairro Nossa Senhora Aparecida em Patos de Minas, foto de arquivo — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

Rio Paranaíba transbordou sobre a Ponte do Arco, no Bairro Nossa Senhora Aparecida em Patos de Minas, foto de arquivo — Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

  • Veja a 1ª cheia do Rio Paranaíba em Patos de Minas em fotos e vídeos

No dia 8 de janeiro, o prefeito Luis Eduardo Falcão (Podemos) decretou estado de emergência na cidade, que foi reconhecido pelo governador Romeu Zema (Novo) no Diário Oficial do dia 13. Para auxiliar as vítimas das enchentes, a Prefeitura também lançou a campanha “Patos Solidária”, que arrecadou donativos e chegou a angariar mais de R$ 20 mil para as famílias afetadas nas primeiras 24 horas.

VÍDEOS: veja tudo sobre o Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas



Fonte: G1


02/03/2022 – Paranaíba e Máximus FM

COMPARTILHE:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on skype
Skype

Mais Notícias de Rio Paranaíba:

Mais Notícias da Região:

SEGUE A @PARANAIBAMAXIMUS

Paranbaíba FM
Máximus FM
Contato Comercial
QUAL RÁDIO QUER OUVIR?