NOTÍCIAS

Fahim Sawan, ex-secretário de Saúde de Uberaba, é condenado por improbidade administrativa



Além de Fahim, outros dois servidores públicos municipais também foram condenados. Trio foi investigado por improbidade administrativa ao usar dinheiro de ‘pequeno caixa’ da secretaria de forma ilegal entre 2014 e 2015. Foto de arquivo de Fahim Sawan em 2016 Marcela Matarim/G1 A Justiça condenou o ex-secretário de Saúde de Uberaba, Fahim Sawan, por improbidade administrativa. Ele foi alvo de investigação do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) por suspeita de irregularidade no uso de “pequeno caixa” por setores da Secretaria Municipal de Saúde entre 2014 e 2015. Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Telegram Além de Fahim, também foram condenados o ex-subsecretário de Saúde de Uberaba, João Lisita Neto, e Evaldo José Espíndula. Após as investigações do MP, o juiz substituto da 4ª Vara Cível de Uberaba, Marco Antônio Macedo Ferreira, condenou o trio à pena de: pagar multa de 10 vezes o valor da remuneração que recebiam à época dos fatos, a ser revertida em favor da Prefeitura; não poder receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica, pelo prazo de três anos. Ao g1, o advogado de Evaldo José Espíndula disse que aguarda o contato com o cliente para emitir algum posicionamento. A reportagem também procurou as defesas de Fahim e João Lisita e aguarda retorno. Em junho, Fahin Sawan e outras cinco pessoas já haviam sido condenados a nove anos e dois meses de prisão por irregularidades na compra de medicamentos pelo Município entre 2013 e 2014. O grupo recorre a esse processo em liberdade. 🔔 Receba no WhatsApp as notícias do Triângulo e região Fahim Sawan, ex-secretário de Saúde de Uberaba, é condenado a 9 anos de prisão por desvio de verbas na compra de medicamentos Improbidade administrativa Em análise contábil realizada no inquérito do MPMG, foi descoberto que, em 2014, quando Sawan ainda era secretário, foram autorizados processos de adiantamento para cobrir despesas de “pequeno caixa” de quase R$ 198 mil. Porém, somente cerca de R$ 23 mil de fato foram enquadrados como despesa na época. Também foram encontradas irregularidades no exercício de 2015, quando foi autorizado o adiantamento de R$ 119 mil do caixa, sendo que apenas R$ 17,5 mil foram enquadrados como despesa. LEIA TAMBÉM: FLAGRANTE: Durante ocorrência de ameaça, vídeo mostra PMs invadindo casa e agredindo mecânico com chave de braço, socos e chutes VIOLÊNCIA: Homem é preso por arrombar casa e bater na ex-mulher grávida em MG ACIDENTE: Vídeos mostram momento do acidente com Porsche; velocímetro ficou cravado em 250 km/h 📲 Siga as redes sociais do g1 Triângulo: Instagram, Facebook e Twitter 📲 Receba no WhatsApp as notícias do g1 Triângulo VÍDEOS: veja tudo sobre o Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas

Fonte: G1


13/12/2023 – Paranaíba e Máximus FM

COMPARTILHE:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email
Skype

Mais Notícias de Rio Paranaíba:

Mais Notícias da Região:

SEGUE A @PARANAIBAMAXIMUS

Paranbaíba FM
Máximus FM
Contato Comercial
QUAL RÁDIO QUER OUVIR?