NOTÍCIAS

Presa na Operação 'Libertas', ex-vereadora Pâmela Volp é suspeita de criar sistema de extorsão na penitenciária de Uberlândia


A ex-vereadora de Uberlândia Pâmela Volp, presa na Operação “Libertas”, é acusada por detentos da Penitenciária Pimenta da Veiga de praticar extorsão contra os presos da ala LGBTQIA+.

Segundo o boletim de ocorrência, registrado na segunda-feira (16), a Polícia Penal apurou que Pâmela criou esse sistema em fevereiro, no qual ela vendia produtos como cigarros, material de limpeza, comida e estabelecia juros para os “clientes”.

Ainda conforme a ocorrência, se a pessoa não pagasse, poderia sofrer diversos tipos de punição, como perder a alimentação fornecida pela penitenciária e até agressão, como alguns detentos relataram.

Durante as buscas pela cela de Pâmela, foram encontrados diversos produtos de limpeza, cigarros e doces, que foram recolhidos e entregues para a Polícia Militar (PM).

O g1 procurou a defesa de Pâmela Volp para saber se gostaria de comentar sobre as acusações e procurou a Polícia Civil para saber se o caso é investigado. Mas não obteve retornos até a última atualização da reportagem.

A produção da TV Integração contatou a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) para falar sobre o assunto, mas também não houve resposta até a última atualização da matéria.

Uma das vítimas, de 24 anos, afirmou ter sido agredida por duas pessoas a mando da ex-vereadora. O motivo é que Pâmela criou um teste para identificar se homossexuais presos da ala LBTQIA+ eram “passivos ou ativos” e essa vítima se recusou a fazê-lo, sofrendo as agressões.

Outra vítima, de 28 anos, contou que foi ameaçado e ainda relatou que pessoas trabalham a mando de Pâmela, além dela ter uma rede de proteção.

Uma terceira vítima, de 46 anos, relatou aos policiais que, por causa de uma dívida de R$ 2,5 mil, Pâmela pegou refeições dele e mandou uma pessoa agredi-lo violentamente, mas, mesmo assim, a dívida não foi considerada paga.

Presídio de Uberlândia I antigo Professor João Pimenta da Veiga , foto de 29/12/2021 — Foto: TV Integração/Reprodução

Presídio de Uberlândia I antigo Professor João Pimenta da Veiga , foto de 29/12/2021 — Foto: TV Integração/Reprodução

No dia 8 de novembro de 2021, a exploração sexual de travestis e transexuais foi alvo de investigação na cidade. Na época, o Gaeco deflagrou a 1ª fase da Operação “Libertas”, que visava combater uma organização criminosa e, entre os alvos, estavam a ex-vereadora Pâmela Volp, a filha dela, Paula Volp, e Lamar Bionda.

Posteriormente, outras três fases da ação foram realizadas. Uma delas resultou na prisão de Paula Coco. Ela é suspeita de fazer a ponte entre Criciúma e Uberlândia.

Durante a investigação, Pâmela e Paula Volp foram denunciadas pelo MPMG, na mesma operação, por uma tentativa de latrocínio ocorrida em 2018 contra uma travesti, em Uberlândia.

Entre os delitos cometidos pela quadrilha estão: associação criminosa, exploração sexual, manutenção de casa de prostituição, roubo, lesão corporal, homicídio, constrangimento ilegal, ameaça, posse e porte de arma de fogo.

Ainda segundo o MPMG, há relatos de que o esquema criminoso tenha iniciado em 1992 e, assim, já dura 30 anos.

O Profissão Repórter do dia 15 de março mostrou a vida das pessoas trans no Brasil, entre elas, em Uberlândia. Caco Barcellos e o repórter cinematográfico Luiz Silva e Silva acompanharam auditores fiscais do Ministério do Trabalho e Previdência que investigam a exploração sexual, as ameaças e as condições de trabalho em pensões e casas noturnas. Veja o vídeo abaixo:

Auditores fiscais do Trabalho afirmam que ex-vereadora de Uberlândia chefia grupo que explora mulheres trans e travestis

Auditores fiscais do Trabalho afirmam que ex-vereadora de Uberlândia chefia grupo que explora mulheres trans e travestis

OPERAÇÃO ‘LIBERTAS’: GAECO LIGA EX-VEREADORA DE UBERLÂNDIA PAMELA VOLP A ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA

VÍDEOS: veja tudo sobre o Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas



Fonte: G1


17/05/2022 – Paranaíba e Máximus FM

COMPARTILHE:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on skype
Skype

Mais Notícias de Rio Paranaíba:

Mais Notícias da Região:

SEGUE A @PARANAIBAMAXIMUS

Paranbaíba FM
Máximus FM
Contato Comercial
QUAL RÁDIO QUER OUVIR?