NOTÍCIAS

Projeto 'Tramas do Tempo' de tecelagem em Araxá ressignifica antiga tradição; conheça


O Ateliê de Tecelagem Municipal Hermantina Drummond em Araxá tem a missão de manter viva uma tradição que passa por gerações e valoriza o trabalho artesanal: o tear mineiro. Por meio do projeto “Tramas do Tempo”, no Museu Dona Beja, 8 tecelãs buscam ressignificar a antiga cultura.

No espaço, é possível acompanhar o trabalho dos artistas, o que faz o local um museu vivo.

Projeto é dividido em três etapas

Tradição do tear em Araxá — Foto: Prefeitura de Araxá/Divulgação

Tradição do tear em Araxá — Foto: Prefeitura de Araxá/Divulgação

A primeira parte se chama “Tramas do Tempo – Contando Histórias”, onde são buscadas referências, por meio de pesquisas, sobre como tecer um material, qual é a explicação para ele ser feito daquela forma, além do significado de cada estampa bordada.

Em “Tramas do Tempo – Tecendo Histórias”, os tecelãs tiram do papel toda a teoria pesquisada e constroem as peças com base nas referências.

Ao final, o último desdobramento “Tramas do Tempo – Reciclando Histórias” é a parte destinada para compor as novas peças, que são utilizados tecidos descartados, como vestimentas que não têm mais utilidade na sociedade.

Museu Dona Beja recebe os trabalhos

Museu Dona Beja, foto de arquivo  — Foto: CBMM/Divulgação

Museu Dona Beja, foto de arquivo — Foto: CBMM/Divulgação

Desde o início do mês de fevereiro, os trabalhos são desenvolvidos no térreo do Museu Dona Beja. Segundo a coordenadora da tecelagem, Adelina Rezende de Menezes, a ideia do museu vivo é maravilhosa.

“Por exemplo, quando os visitantes passam pelo segundo andar, nos quartos, as colchas que estão nas camas são feitas no tear. E quando chegam no andar debaixo conseguem visualizar todo esse contexto. Conseguem ver como tudo está sendo produzido e conhecem um pouco da história que há por trás de cada trama, de cada estampa”, explicou.

Para os interessados, é possível adquirir os produtos produzidos no espaço.

“A pessoa pode adquirir a peça e levar como lembrança. O objetivo aqui não é tecer para vender, mas sim que o visitante possa visualizar e vivenciar como tudo é feito. E que depois disso, ele tenha um pedacinho dessa história em casa”, destacou a coordenadora Adelina Rezende.
Imagem mostra ateliê em Araxá — Foto: Prefeitura de Araxá/Divulgação

Imagem mostra ateliê em Araxá — Foto: Prefeitura de Araxá/Divulgação

Celina Ferreira tem 64 anos de idade e desde os 7 se dedica à tradição da tecelagem. A artista constituiu família, criou filhas e realizou projetos de vida por meio do tier.

“Aprendi a tecer quando criança e meu sonho é sempre estar passando isso para novas pessoas. Têm bastante tecelãs que eu ensinei. Umas não continuaram, mas outras sim. É um trabalho maravilhoso. Eu gostaria que novas pessoas se interessassem, viessem, procurassem aprender, para no futuro terem uma história para contar e continuar essa tradição”, ponderou.

Ateliê em Araxá funciona de segunda a sexta-feira — Foto: Prefeitura de Araxá/Divulgação

Ateliê em Araxá funciona de segunda a sexta-feira — Foto: Prefeitura de Araxá/Divulgação

Os interessados podem conhecer o Ateliê de Tecelagem Municipal Hermantina Drummond, em Araxá, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 17h.

Para loja e visitação, o período de visitar é de terça a sexta-feira, das 8h às 17h. Já o Museu Dona Beja funciona também de terça a sexta-feira, das 8h às 18h, e aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 12h.

VÍDEOS: veja tudo sobre o Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas



Fonte: G1


06/03/2022 – Paranaíba e Máximus FM

COMPARTILHE:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on skype
Skype

Mais Notícias de Rio Paranaíba:

Mais Notícias da Região:

SEGUE A @PARANAIBAMAXIMUS

Paranbaíba FM
Máximus FM
Contato Comercial
QUAL RÁDIO QUER OUVIR?