NOTÍCIAS

Secretário de Infraestrutura explica projeto de recuperação de rodovias do Triângulo que não fazem parte de plano de concessão


Quem passa pelas rodovias CMG/BR-464 e AMG-2595, no Triângulo Mineiro, enfrenta péssimas condições de conservação, o que traz desconforto, prejuízos e perigo. Mesmo não fazendo parte do leilão de concessão lançado pelo Governo de Minas Gerais, a previsão é que eles sejam recuperados de formas distintas.

Em entrevista à TV Integração, o secretário de Estado de Infraestrutura Fernando Marcato explicou o plano para cada um dos trechos. Ele também falou sobre o lote de concessão de rodovias da região (veja abaixo).

Na semana passada, o governador Romeu Zema assinou liberação de obras em 3 rodovias do Triângulo Mineiro.

As condições da CMG/BR-464, no trecho entre o entroncamento com a BR-050 e Sacramento, e a AMG-2595, antiga Avenida Filomena Cartafina, em Uberaba, são motivos de reclamação de usuários há muito tempo. Ambas sofrem com vários buracos e falta de acostamento.

“É muito preocupante por que são muitos buracos. Algumas estão sem acostamento. Não tem como desviar do buraco e ir para o acostamento. O trânsito fica muito pesado, fica congestionado. Causa transtornos para os motoristas e para os passageiros”, disse o motorista Marcelo Henrique Silva.

A solução para os problemas já está andamento e vai ser executada de forma diferente nas duas rodovias, segundo o secretário de Estado de Infraestrutura, Fernando Marcato. A previsão é que as obras sejam iniciadas em junho deste ano.

“Essa de Sacramento nós já temos o projeto praticamente pronto e nós vamos utilizar os recursos de reparação da Vale para recuperar o trecho. Com relação à Cartafina, o projeto dela deve ficar pronto agora em março e estamos em conversas com as indústrias, pois há 2 meses o governador lançou um decreto permitindo que as indústrias possam utilizar os créditos de ICMS para investir em estradas”, explicou Marcato.

Segundo o deputado estadual Heli Andrade (PSL), a parceria pensada para a AMG-2595 também já foi discutida na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

“A discussão é buscar Parceria Público-Privada (PPP) para que as empresas do Distrito Industrial possam participar do recapeamento e reconstrução”, afirmou o parlamentar.

MG1 de Uberaba mostra situação de rodovias estaduais do Triângulo que serão privatizadas

MG1 de Uberaba mostra situação de rodovias estaduais do Triângulo que serão privatizadas

Em março, está prevista a realização do leilão de concessão de 627,4 km divididos em 9 trechos que passam pelo Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba que formam, junto com 454,3 km de rodovias no Sul Minas, o lote de 1.100 km de rodovias que vai ser concedidos à iniciativa privada. Os trechos são:

  • CMG-462: entre Patrocínio e Perdizes, com pavimentação de trecho de 13 km;
  • LMG-782: entre Monte Carmelo e Iraí de Minas;
  • MG-190 e LMG-812: entre Romaria, Iraí de Minas e Nova Ponte;
  • LMG-798: entre Nova Ponte e Uberaba;
  • MG-427: de Uberaba a Planura, passando por Água Comprida e Conceição das Alagoas;
  • CMG-452 e BR-452: entre Uberlândia e Araxá;
  • BR-365: entre Uberlândia e Patrocínio.

De acordo com o Governo de Minas Gerais, o investimento estimado em todos os trechos é de R$ 4,5 bilhões ao longo de 30 anos de concessão. No entanto, mais da metade do montante, R$ 2,4 bilhões devem ser investidos nos primeiros 8 anos.

Segundo Fernando Marcato, a previsão é a empresa vencedora do pregão inicie as obras de recuperação no segundo semestre de 2022.

“O modelo de concessão já se mostrou como o mais eficiente para manutenção e ampliação de estradas, pois governos, e Minas Gerais é um caso típico, tem momentos com dinheiro e momentos sem dinheiro”, pontuou Marcato.

Principal trecho do lote, a BR-365 vai concentrar o maior volume de investimentos no Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. A concessionária que vencer o leilão deverá executar duplicações, implantação de acostamento e faixas adicionais na rodovia.

A rodovia foi motivo desacordo entre o Estado e o Ministério Público Federal (MPF), que recomendou a retirada do trecho do lote de concessão. A Justiça também determinou que o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) duplicasse a rodovia.

Na semana passada, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), fez a assinatura do despacho governamental para as 3 obras de infraestrutura na região. O governador disse que a recuperação da MGC-497, entre Uberlândia e Prata, que antes tinha previsão de início para janeiro, na verdade, vai começar no mês de março.

“Eu reconheço o estado precário das nossas rodovias, mas nós temos de lembrar é que nós vamos conseguir fazer o trabalho de maneira satisfatória e, com isso, nós vamos ter condição não ainda de recuperarmos 100% das rodovias, [mas] boa parte daquelas que estão mais deterioradas.”

Quase 60 quilômetros de estrada na MG-190, entre a cidade de Abadia dos Dourados e o entrocamento com a BR-365, sentido Uberlândia, também serão recuperados. A outra obra incluída no pacote, com previsão de início em março, é na MGC-255, entre as cidades de Itapagipe e Iturama.

Para a realização das obras anunciadas serão investidos cerca de R$ 100 milhões. Os recursos fazem parte do acordo firmado entre o Estado e a mineradora Vale, em reparação pelo rompimento da barragem que causou a tragédia em Brumadinho.

VÍDEOS: veja tudo sobre o Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de Minas



Fonte: G1


22/02/2022 – Paranaíba e Máximus FM

COMPARTILHE:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on skype
Skype

Mais Notícias de Rio Paranaíba:

Mais Notícias da Região:

SEGUE A @PARANAIBAMAXIMUS

Paranbaíba FM
Máximus FM
Contato Comercial
QUAL RÁDIO QUER OUVIR?